Posts marcados na categoria pessoal

13 dez, 2014

Unlimited…

Talvez as coisas estejam se encaixando novamente… Deus sabe que eu nunca pedi que minha vida fosse perfeita, mas os altos e baixos que teve em 2014… Só Ele para me fazer aguentar mesmo. Tudo que era sonho acabou por virar pesadelo, porém novas oportunidades vieram e eu… eu só consigo agradecer.

Orando antecipadamente, que 2015 seja repleto de bênçãos e ótimas novidades, porque depois desse ano – que vos escreve – mereço. Merecemos.

09 dez, 2014

Love don’t mean nothing…

Bite your tongue. Don’t make a scene dear. Everybody’s been here at least once before, but we’ve been here more… Your heartbreak rolls down the window. I’ve seen it all go comeback around. And I’ve heard the sound… The tip of your tongue, the top of your lung is doing my head in. I say, love don’t mean nothing unless there’s something worth fighting for. It’s a beautiful war. When I hold the warmth of your body there is nobody that I’d rather hold, shattered and cold. The tip of your tongue, the top of your lung is making me crazy. I say, love don’t mean nothing unless there’s something worth fighting for. It’s a beautiful war. I say, love don’t mean nothing unless there’s something worth fighting for. It’s a beautiful war.

03 dez, 2014

Cut open my heart…

… right at the scar and loosen up. Gonna do what I’m told. Go where I’m told and loosen up. Take a shot in the rain One for the pain and loosen up. I tried all the way… Wait for me, wait for me. Oh, it’s all better now, it’s all better now… Wait for me, wait for me…

27 nov, 2014

Don’t cry for me, Argentina

Depois de um bom tempo planejando tudo, não saiu como eu esperava, MAS eu visitei Buenos Aires! Abaixo listas de pros e cons e fotos <3 Eu ia escrever um dia-a-dia, mas quando eu estiver melhor (tô meio doentinha e tal) quem sabe.

Pros

  1. Homens lindos;
  2. Latinos guapos;
  3. Comida boa;
  4. Não tem poluição (sério, fiquei sob 39,5°C e não passei mal, como passo com 30°C em SP);
  5. Nosso real vale um cadim;
  6. Dólar então… me senti rica.

Cons

  1. Gente mal-educada (mas eu achei normal porque os paulistanos também não são flor que se cheirem);
  2. Água SALGADA (tinha muito sódio na bendita. Estava até escrito no rótulo “mineiralizada artificialmente”);
  3. Tudo muito caro. ARG$ 1 = R$ 4 ou US$ 12 no mercado paralelo, mas três lanches do McDonalds custaram ARG$ 237 e um prato comercial era ARG$ 115;
  4. Muita agitação no centro (ficamos hospedados em frente ao Obelisco na 9 de Julio);
  5. Eles gritam DEMAIS;
  6. Havanna muito caro. Compramos duas caixas com 24 unidades cada e pagamos R$ 183;
  7. Alguns lugares aceitavam reais e dólares no preço do mercado paralelo, o que era vantagem para nós que pagamos R$ 0,36 no peso argentino e eles pagavam R$ 0,22, mas nas lojas mais certinhas, tipo Havanna e Duty Free era ARG 8,50 por dólar americano (tenso).

show

14 out, 2014

All I know is, you hardly know me

Eu só queria que as coisas parassem de desmoronar dessa forma. Assim, estava tudo muito bem, tudo muito lindo, a vida encaminhando da melhor maneira, você ali do meu lado e de repente… Por quê? Eu achei que estava tudo muito bem, mas acho que me enganei novamente. Porque onde já se viu, sofrer durante tanto tempo e finalmente ter um farewell, né. Era bom demais pra ser verdade. Estava bom demais pra ser verdade.

Aí eu fico aqui… Sentindo falta de algo que um dia eu tive… Ou algo que eu achei um dia ter tido. E sem entender lhufas onde deu errado, por que deu errado, por que não deu certo…